A directora da ADRA-HUAMBO, Maria de La Saleth Morgado, justificou esta redução considerável com a falta de recursos financeiros.

Sublinhou que a cooperação espanhola, uma das financiadoras, deixou de apoiar a ADRA na execução dos seus projectos comunitários.

Explicou que actualmente a ADRA apoia 40 cooperativas e associações agrícolas nos municípios da Caála, Longonjo e Bailundo, mas não na extensão e dimensão que pretendia, por insuficiência de dinheiro.

” A selecção das associações e cooperativas foi um processo natural, afirmando que muitas associações evoluíram para cooperativas e têm desencadeado uma série de acções tendentes a apoiar as iniciativas dos seus membros e sócios. A ADRA está a trabalhar com associações e cooperativas que melhor assimilaram o conceito de sustentabilidade”, acrescentou.

A directora garantiu, porém, que apesar desta redução, a ADRA mantém a sua aposta em apoiar projectos comunitários que tenham impacto.