No final da reunião do Comité de Coordenação do Crédito Agrícola, durante a qual foram prestadas informações sobre o estado da preparação do processo de relançamento do Crédito Agrícola de Campanha na província do Huambo, o ministro da Agricultura, Afonso Pedro Canga, informou que além dos agricultores, o crédito agrícola, no valor em kwanza equivalente a cinco mil milhões de dólares, vai igualmente abarcar os pescadores, ajudando – os na compra de bens e no pagamento de serviços de que necessitam para as operações da Campanha Agrícola 2015/2016 e das pescas no mesmo período.

O técnico do Comité de Coordenação do Crédito Agrícola, Joaquim Duarte, explicou terem sido feitas algumas modificações, com o objectivo de tornar o programa mais robusto e reforçar o papel dos comités locais de pilotagem, cuja responsabilidade é avaliar o perfil dos candidatos ao crédito.

O Comité de Coordenação do Crédito Agrícola pretende fazer igualmente uma melhor selecção dos fornecedores de insumos e proporcionar aos beneficiários um pacote tecnológico sobre a preparação de terra mecanizada ou de outra natureza, para que a produção seja realizada com maior sucesso.

A ADRA pretende este ano, reforçar a capacidade organizativa das associações de camponeses e cooperativas agrícolas no Huambo, visando a diversificação da produção e o combate à pobreza.

O facto foi anunciado recentemente pela directora da ADRA naquela região, Maria de La-Sallete, na cerimónia de apresentação no plano de apoio ao desenvolvimento sócio-económico do município do Longonjo, dizendo que a UNACA controla no Bié, um universo de 561 associações e 54 cooperativas.