ADRA-Huíla | Caluquembe e Cacula partilham experiências locais comunitárias

30/9/2019

O último dia de visita da delegação Alemã na Huíla foi marcado por importantes reflexões sobre o trabalho comunitário nas localidades que a ADRA Huíla intervém, nas temáticas sobre Delimitação Participativa das Terras Comunitárias na comunidade do Camucuio (Cacula), merenda escolar e associativismo e cooperativismo no Giraul (Caluquembe).

Em Camucuio a comunidade explicou como foi a participação dos homens, mulheres e jovens na construção dos mapas, na utilização dos recursos naturais, onde as mulheres são as mais interessadas na legalização das terras.

Avelina João, chefe de produção da associação do Camucuio em nome das mulheres disse que “no princípio não tínhamos conhecimentos sobre este processo tão importante, despertamos e isso deixa confortável as mulheres e os filhos.  A nossa esperança está no direito fundiário e somos parte importante na legalização das terras, porque em alguns casos quando perdemos o marido, somos injustiçadas pelas famílias e perdemo-las (a terra).

“Aprendemos muito com a formação sobre Delimitação Participativa das Terras Comunitárias, os processos da delimitação sendo umas das primeiras contempladas com este trabalho.” Acrescentou.

Para a comunidade do Giraul, “antes não sabíamos o que é a organização comunitária, hoje homens, mulheres e jovens, trabalham de forma conjunta sem nenhum problema. O nosso ponto forte é a agricultura, trabalhando em hortas e lavras para o sustento familiar”. Disse Júlia Tabita.

“Antes trabalhávamos de forma desorientada. Actualmente com a assistência técnica da ADRA, utilizamos técnicas de produção (usando o compasso). Antigamente em 1 hectare produzíamos 500 kg de milho, mas, agora em 1hectare produzimos 1.500 kg de milho. Apostamos mais em culturas de ciclo curto porque é dai que sai mais rendimento tais como: cebola, batata rena e o alho para suprir as necessidades primárias das famílias” acrescentou.  

Joaquina Lucas, membro da cooperativa destacou os benefícios da merenda escolar. “O ensino no meio rural ainda é deficitário, os pais não incentivam as crianças a ir à escola. Encontramos uma estratégia para trazê-los à escola distribuindo merenda escolar aos alunos do ensino primário. Beneficiam 483 crianças e desde que começamos com esta prática, muitas crianças têm frequentado as aulas”.

Foram apontados alguns desafios pelas comunidades tais como: investir na agricultura para promover o desenvolvimento do país, aumentar a produção e transformar os produtos agrícolas e passar a exportar; montar um centro de culinária e de corte costura.

A delegação da Alemanha faz uma análise positiva do trabalho da organização e dizem que vai muito além dos projectos implementados, principalmente na força de vontade das mulheres.

Levam para as suas províncias experiências bastantes concretas e positivas, mas deixam um apelo para a ADRA continuar a contribuir para a promoção do desenvolvimento comunitário para uma sustentabilidade eficaz.

Download PDF

Partilha

1
FACEBOOK
2
TWITTER
3
YOUTUBE