Comunidades clamam por serviços públicos no meio rural

Alice Peso
10/10/2018

Uma das principais dificuldades rumo ao desenvolvimento está na desestruturação dos serviços públicos, principalmente no meio rural. Este foi um dos temas mais debatidos durante o Encontro Provincial das Comunidades da Huíla, que se realizou no dia 02 de Outubro, na sala de reuniões do gabinete provincial da Acção Social, Família e Igualdade de Género, no Lubango.

De modo geral, as comunidades reconhecem o esforço que tem sido feito pelas instituições públicas. Mas alertam que ainda não é suficiente. Os serviços públicos continuam a ser inconsistentes, até porque muitos dos programas não são implementados em todos os municípios da província.

A requalificação das vias terciárias e secundárias para facilitar o escoamento dos produtos agrícolas tem sido, até hoje, outra das grandes dificuldades para o dia-a-dia dos camponeses. As comunidades lançam um apelo ao governo no sentido de dar maior atenção ao camponês e de usar material duradouro na reabilitação de estradas.

As comunidades sugerem ainda uma maior aproximação com as administrações municipais, tendo em conta o processo de implementação das autarquias e a necessidade das pessoas se apropriarem do processo.

Fizeram parte do Encontro Provincial das Comunidades as seguintes entidades: vice-governadora para o sector Político, Social e Económico, Maria Tchipalavela, Comando Provincial da Huíla, representantes de Associações e Cooperativas Agrícolas, representantes das administrações municipais de Cacula, Quipungo, Humpata, Gambos, Caluquembe (Huíla) e Ombadja e Cahama (Cunene), parceiros da direcção provincial da Educação, da Saúde, Agricultura, EDA, IDA, representantes das igrejas e de partidos políticos, serviços de veterinária, representantes da sociedade civil, do Conselho Municipal de Juventude da Humpata, direcção provincial da Agricultura, Fundo de Acção Social (FAS), Autoridades Tradicionais, Instituto Nacional de Estatística, serviços de protecção e bombeiros, jornalistas e sindicalistas.

Foram ainda eleitos 12 delegados para participar do Encontro Nacional das Comunidades, que vai acontecer em Luanda durante o mês de Outubro.

Aconteceu também um momento de homenagem da comunidade ao senhor Domingos Gomes da Piedade (Tio Pio), um dos membros fundadores da ADRA - Acção Para o Desenvolvimento Rural e Ambiente.

O Encontro Provincial das Comunidades contou com a presença de 104 participantes (50 mulheres) e contou com o financiamento da União Europeia em Angola / European Union in Angola, da organização Brot für die Welt/Pão Para o Mundo, Ajuda das Igrejas Norueguesas (NCA, em ingês, Forum Syd e Solidariedade Prática no âmbito dos projectos em curso na ADRA Antena Huíla e Cunene.

Partilha

1
FACEBOOK
2
TWITTER
3
YOUTUBE