A agricultura é um sector de elevado risco bancário. Aumentam o risco factores como a falta ou excesso de chuva, perigo de inundações, pestes e outras calamidades. A inexistência de um seguro agrícola, diminui o interesse dos bancos em financiar a actividade agrícola. O ministério das finanças por sua vez, assume uma grande parte do risco e reembolsa parcialmente os créditos considerados incobráveis.

A constituição a nível do município ou comuna de um comité local de pilotagem, com a participação de personalidades de grande autoridade moral na comunidade e que conhecem pessoalmente os pequenos produtores que residem na área.

Para combater a pobreza e a fome, aos pequenos camponeses aconselha-se que aumentem as suas áreas agrícolas, melhorem a produtividade da economia familiar e diversifiquem a sua produção. Mas para isso, é necessário que adquiram os insumos e os instrumentos de trabalho adequados.

Os pequenos camponeses e os produtores familiares não têm possibilidades de oferecer as garantias que os bancos exigem, visto que geralmente os bancos comerciais só concedem créditos mediante a apresentação de garantias de reembolso.

Ressalta-se que um camponês só pode voltar a beneficiar do Crédito de Campanha depois de ter pago os créditos anteriores. O banco pode recusar o crédito aos camponeses que não tenham pago as suas dívidas anteriores.