A V Conferência Nacional Sobre o Género e Desenvolvimento, que decorreu em Outubro passado em Luanda, promovida pela ADRA, defendeu a necessidade de haver mais acções que promovam  a igualdade de oportunidades entre mulheres e homens.

De acordo com o Comunicado Final da conferência que teve como lema “ADRA, 25 anos na Promoção da Cidadania e da Inclusão Social em Angola”, “constata-se uma representação ínfima das mulheres nos diferentes órgãos de tomada de decisão. Para além de razões históricas ou culturais, esta situação deve- se também ao facto de que ao nível dos Partidos Políticos as mulheres, frequentemente, são colocadas em segundo plano. Assim sendo, apela-se aos Partidos Políticos para respeitar cada vez mais o princípio de igualdade de oportunidades entre as mulheres e os homens”.

Ainda assim, os participantes constataram que Angola possui uma Política Nacional para Igualdade e Equidade de Género no qual reitera o acesso de todas as pessoas aos direitos universais, sem discriminação, para além de o país ser  Estado signatário de Diplomas, Convenções, Protocolos e Tratados regionais e internacionais sobre a promoção da igualdade entre as mulheres e homens, porém, ainda se “constata insuficiência de acções concretas para a implementação dos compromissos assumidos aos níveis nacional, regional e internacional. Neste sentido, recomenda-se ao Governo Angolano implementar mais acções conducentes à promover o princípio de igualdade de direitos entre as mulheres e os homens”.

Clique aqui para baixar o Comunicado Final completo