Dar à luz a uma criança é uma das maravilhas da vida. Quando o bebé nasce, a mãe é extremamente importante para dar a nova pessoa segurança e nutrição. Hoje em dia, as mães suecas sentem-se confiantes de que há uma boa assistência médica e os riscos para a mãe e a criança de não sobreviver a um parto é muito pequena.

Mas em Angola a situação é diferente, onde cada gravidez e parto torna-se um perigo mortal para a mãe e a criança. A mortalidade materna é alta e em cada 20 crianças, 1 morre no prazo de 28 dias após o nascimento. Você pode agora ser parte da mudança!

Albina Adrena tem 60 anos e trabalhou 24 anos como parteira tradicional na zona rural. A parteira tradicional não tem formação médica e não tem os recursos disponíveis como os hospitais nas cidades têm.
Ela diz: “Nas cidades os nascimentos da maneira tradicional diminuíram, mas em áreas rurais ainda somos nós que ajudamos no parto”.

Graças a ADRA, o parceiro da AGS, a Albina tem recebido treinamento. Ela aprendeu como com métodos e meios simples podem se realizar nascimentos mais seguros. “Hoje em dia, nós encorajamos as mulheres em primeiro lugar a procurar os hospitais para receberem aconselhamento antes de dar à luz. Há materiais e medicamentos melhores”, disse Albina.

Depois que a ADRA juntamente com o Ministério da Saúde começaram a dar formação, o número de mulheres grávidas que procuram aconselhamento mais do que triplicou, também o número de partos hospitalares aumentou. Uma mudança que cria uma maior segurança para a mãe e a criança. Queremos trabalhar com você para continuar os nossos esforços para reduzir a mortalidade materno-infantil em Angola.
Por favor use o cartão de pagamento hoje e ajude mais crianças a viver e crescer com a mãe.

Muito obrigado por sua doação!