Falta de espaços de concertação limita a participação das mulheres no ciclo orçamental

Quenatchi Flor
11/9/2018

Esta conclusão, que foi apresentada publicamente nos dias 30 e 31 de Agosto, decorre do estudo realizado pela ADRA Antena Benguela sobre "O Orçamento Geral do Estado (OGE) na perspectiva de género" nos municípios da Ganda e Cubal.

Dona Verónica Chilombo, na Ganda, diz que há muita carência de serviços sociais básicos na região. "Seria bom que se fizesse o mesmo estudo nas outras localidades", defende. Ficou patente nas conclusões do estudo que a integração da perspectiva de género no processo orçamental exige ainda um grande esforço das autoridades e da sociedade civil.

Para Armando Júnior, director dos Assuntos Sociais da administração do Cubal, “os resultados reflectem, de certo modo, a realidade local".

"Se as administrações têm dificuldades de participar nos orçamentos quanto mais as populações! Os resultados dos estudos muitas vezes não são tidos nem achados, o que provoca dissabores e desinteresse das comunidades em participar nos processos”.

Uma das recomendações que saiu dos encontros vai no sentido de existirem mais interacções deste tipo com a finalidade de se influenciar a adopção de políticas a favor das comunidades.

A mesa-redonda promoveu um espaço de debate e reflexão à volta dos resultados do estudo e foi também uma forma de colher sugestões que contribuam para o enriquecimento do referido conteúdo.

Os eventos aconteram na Ganda (dia 30 de Agosto) e no município do Cubal (dia 31 de Agosto) na sala das respectivas administrações municipais e foram moderados pelo consultor independente Josué Chilundulo.

Contou também com representantes do administração municipal, membros do Conselho de Auscultação e Concertação Social (CACS), quadros da ADRA Antena Benguela e representantes de partidos políticos, autoridades tradicionais, membros de associações e cooperativas de camponeses, organizações da sociedade civil, instituições religiosas e estudantes.

Esta acção enquadra-se no projecto Okulisanga financiado pela União Europeia em Angola / European Union in Angola.

Partilha

1
FACEBOOK
2
TWITTER
3
YOUTUBE