Parteiras tradicionais reforçam técnicas de serviço de parto

9/5/2019

A Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente (ADRA) em parceria com a direcção Municipal da Saúde de Cacuso promoveram na última terça (30 de Abril), uma formação para reforçar as capacidades das parteiras tradicionais.

A formação decorreu na Escola ADPP Lombe, em Malanje, capacitando 30 parteiras tradicionais municípios de Kalandula e Cacuso.

Durante a mesma, foram abordados assuntos ligados as técnicas a ter em conta no serviço de parto (os cuidados e a higiene da parteira, formas de lidar com determinadas complicações antes e durante o serviço de parto, entre outros).

Josefa Correia Joaquim,membro da associação Kituakifikile, afirmou “essa formação correu muito bem, a enfermeira deu bem a formação, aprendi que a parteira deve colocar o seu ouvido na barriga da grávida para ouvir o bebé se está a se mexer ou não, devo manter as mãos limpas para tirar a criança que esta sair na barriga da mãe.”

Maria Miguel, membro da associação Havemos de Voltar “quando a mulher está a dar à luz dávamos-lhe medicamento caseiro e a enfermeira repreendeu-nos. Se o parto estiver complicado, devemos mandar ela ao hospital. A enfermeira nos ensinou muita coisa, quem não tem formação de parteiras não pode dar medicamento nas grávidas”.

A enfermeira e formadora,Engrácia João Damião Gaspar, afecto ao centro médico do Lombe afirmou “gostei de ter partilhado a minha experiência com as parteiras tradicionais e espero ser convidada mais vezes para o efeito, acredito que os assuntos abordados durante a sessão vão permitir aclarar algumas dúvidas das parteiras tradicionais no exercício da sua profissão nas comunidades”.

Para  coordenadora da equipa municipal da ADRA em Cacuso, Mariana Moita “essa formação foi realizada no âmbito das necessidades apresentadas pelas comunidades rurais, fruto de um levantamento feito em 2018,no que concerne a falta de assistência medicamentosa.”

Por esta razão juntou-se as parteiras tradicionais no sentido de melhorarem as suas capacidades atendendo o seu papel nas suas localidades, na realização de partos ao domicílio. Acção de género irá se estender aos municípios do Quela e KiwabaNzoji respectivamente.

Realçar que esta actividade enquadra-se no projecto institucional financiado pela Afrikagrupperna (Grupos África da Suécia).

Download PDF

Partilha

1
FACEBOOK
2
TWITTER
3
YOUTUBE