Governo do Huambo reafirma parceria com a ADRA na mitigação dos problemas sociais

10/1/2022 5:30 PM

O Governo do Huambo afirma continuar a parceria com a ADRA na implementação de acções nas comunidades, com vista à resolução dos problemas locais.

A declaração foi feita pelo Vice-Governador da Província para o Sector Político, Social e Económico, Francisco Kata, durante o Workshop de Encerramento e Apresentação de resultados dos Projectos “Apoio ao Desenvolvimento de Cooperativas Agrícolas nas Províncias do Huambo e Benguela” e “Mitigação dos Efeitos Socioeconómicos da Covid-19 na Província do Huambo”.

De acordo com o governante, as comunidades locais enfrentam várias necessidades sociais e económicas que precisam da intervenção tanto do Governo como das Organizações da Sociedade Civil. Para ele, a falta de estradas asfaltadas que interliguem os municípios da província é uma das preocupações locais, pelo que garante uma intervenção à medida dos recursos que têm sido disponibilizados para o efeito.

“Tendo em conta as várias necessidades socioeconómicas que as comunidades enfrentam, fica o compromisso do Governo Provincial, a ADRA, outros Parceiros do Governo e Privados, encontrarem forma para a sua mitigação, seja por via de projectos ou de outras iniciativas”, assegura.

O evento, realizado a 30 de Dezembro, contou com a participação de 60 participantes, dos quais 21 mulheres, entre Representantes do Governo da Província do Huambo e das Administrações Municipais do Bailundo, Caála e Longonjo, membros das Associações e Cooperativas de produtores agrícolas, acadêmicos, membros das Organizações da Sociedade Civil, jornalistas, Quadros da ADRA e parceiros.

Sobre o Projecto de Apoio ao Desenvolvimento de Cooperativas Agrícolas nas Províncias do Huambo e Benguela, os participantes tomaram conhecimento das acções realizadas durante a sua implementação e dos resultados alcançados, que se reflectem na existência de serviços de mecanização, aumento dos níveis de produção, armazenamento e comercialização dos produtos, e na adopção de práticas agrícolas sustentáveis.

Os resultados do Projecto de Mitigação dos Efeitos Socioeconómico da Covid-19 na Província do Huambo reflectem sobre o aumento do nível de conhecimento sobre as medidas de prevenção contra a Covid-19, escolas e igrejas com sistemas de lavagens das mãos, o abastecimento de água através de moto-cisternas em 10 comunidades para a lavagem das mãos, assim como a prática de produção de sabão de modo a tornar a actividade numa nova fonte de renda para o auto-sustento das famílias.

De forma geral, o Workshop visou abordar sobre os resultados dos trabalhos desenvolvidos pelas cooperativas dos municípios do Bailundo, Caála e Longonjo, no âmbito dos referidos projectos, financiados pela empresa Petrolífera British Petroleum (BP) e da Standard Chartered Bank, respectivamente, que juntas apoiaram mais de 2.600 famílias das cooperativas Twapama, Passuka, Sanjambela, Arroz do Sucesso, Omuenho Wokaliye, no Huambo, Cooperativas Esivayo, Unidos Venceremos, Calombinda e Ndende Njongolo, na Província de Benguela.

Para o Director Municipal do Gabinete de Desenvolvimento Económico e Integrado da Caála, Augusto Tavares, os resultados apresentados deixam entusiasmada a equipa municipal, sobretudo pelo facto de a Caála ter sido contemplada, e convidou a ADRA para estender estas acções a outras zonas do município.

“Se não for pedir demais, gostávamos que as acções desta natureza, se possível, fossem estendidas a outras áreas dentro do nosso território municipal”, solicitou.

A Directora da ADRA Huambo, Cidália Gomes, afirmou que o Projecto de Apoio ao Desenvolvimento de Cooperativas Agrícolas foi oportuno, por proporcionar meios de produção, tais como sementes de curto ciclo (hortícolas, batata rena) e condições de irrigação, que permitiram minimizar os problemas causados pela seca.

“Outro aspecto relevante que o projecto deixa é de ter reforçado as capacidades das cooperativas, para prestarem serviços de mecanização e crédito aos seus membros, que vão permitir a sustentabilidade destas acções”, reforçou.

A representante da ADRA no Huambo acrescentou ainda que o Projecto de Mitigação dos Efeitos Socioeconómico da Covid-19 foi pertinente e eficaz por facilitar o acesso aos meios de biossegurança às famílias rurais, “pois muitas delas não têm condições de obtê-los (máscaras, álcool...), acesso à informação por via de palestras e outras formas de divulgação, como debates, palestras, distribuição de folhetos e bandas desenhadas sobre a Covid-19, e formação sobre a produção de sabão e máscaras.”

Fazer Download