Quatro a seis toneladas de batata rena serão colhidas em Agosto

9/6/2021 3:13 PM

Quatro a seis toneladas de bata rena é a quantidade que a Cooperativa Agropecuária Epinduko espera colher em Agosto deste ano. A organização de camponeses da Aldeia do Lungongo, município da Caála, no Huambo, prevê este nível de colheita como resultado da plantação de uma tonelada de sementes deste produto alimentar, feita no mês de Abril.

As sementes foram doadas recentemente pela ADRA, no âmbito do projecto Grande Plutônio, financiado pela empresa petrolífera British Petroleum (BP).

Para a ADRA, esta acção visa contribuir para a redução das consequências causadas pela seca registadas um pouco por todo o país, principalmente nas regiões Centro e Sul.

Pretende-se também que, com esta plantação, se faça a reprodução das sementes e se assegure a autossustentabilidade da cooperativa, de modo a gerar benefícios na vida da comunidade.

Segundo o presidente da Assembleia Geral da Cooperativa, Augusto Valela, espera-se que a cooperativa alcance outros níveis de crescimento com esta produção.

"Depois da colheita, espera-se repartir o produto em três partes, 60% para venda, 30% para semente e 10% para o consumo familiar dos membros, de forma a conseguirmos sobreviver, continuar a nossa produção e ver a cooperativa a crescer", avançou.

A camponesa Ana Tchilombo destaca a falta de alimentação para muitas famílias na aldeia do Lungongo como a principal preocupação da comunidade e entende ser este acto de apoio à produção feito pela ADRA a ajuda necessária para mitigar os efeitos da seca na localidade.

"É bem-vinda e uma bênção receber estas sementes de batata. Agora, nós vamos cultivar, repartir os produtos e sem esquecer a nossa fome, pois os nossos filhos estão a sofrer. Com a batata que depois vamos colher, um pouco será para vender e ter um pouco de dinheiro, outro para lançar de novo à terra e o que ficar vamos plantar outra vez. Só assim a nossa cooperativa irá para frente.”

A Cooperativa Epinduko foi fundada em 2003, ainda como associação de camponeses, já em 2020 passou a cooperativa. Actualmente é composta por 70 membros, dos quais 37 mulheres, com idades compreendidas entre os 18 e 60 anos.

A organização de camponeses tem uma relação de parceria com a ADRA há mais de 18 anos e possui uma caixa comunitária de crédito, que tem vindo a beneficiar os seus membros com a disponibilização de dinheiro, em forma de crédito, para facilitar a actividade agrícola na comunidade.

ADRA – Mais de 30 anos Construindo Caminhos para a Cidadania e Inclusão Social em Angola
Fazer Download